Nos últimos anos, o interesse por saúde e soluções dessa área tem crescido cada vez mais, seja por parte das empresas que oferecem produtos e serviços na área, ou por esforço pessoal. Um exemplo é o tema da prevenção contra as cáries.

Pouca gente sabe, mas essa é uma das grandes preocupações da Organização Mundial de Saúde (OMS), segunda a qual o número de pessoas impactadas por esse problema chega a nada menos que 2,4 bilhões de pessoas, ou seja, um terço da humanidade.

Os dados são contabilizados de várias maneiras, tanto por pesquisas in loco, diretamente feitas em campo, quanto por meio de métricas emitidas periodicamente por parte de qualquer centro de especialidades médicas dos principais países do mundo.

O relatório revela que são mais de 190 milhões de casos que surgem todos os anos, aumentando cada vez mais esse problema e também a preocupação em torno dele. Embora a cárie dentária não seja exatamente uma doença, é algo preocupante.

Trata-se de uma danificação permanente ocasionada nos dentes da boca humana ou mesmo animal. Ou seja, de algo que o próprio corpo não consegue sanar de maneira espontânea, por via de seus próprios recursos ou anticorpos.

Já sabemos que a questão estética é muito importante para qualquer ser humano, tanto que é comum a busca por boca preenchimento e demais medidas de melhorias voltadas para a boca, bem como para o sorriso de um modo geral.

Contudo, o problema da cárie vai muito além da mera questão estética, podendo incluir desde prejuízos, como dor localizada aguda, passando por infecções que podem se complicar bastante, até a perda dos dentes permanentes.

Portanto, trata-se mesmo de um assunto que merece toda atenção, razão pela qual decidimos escrever este texto, explicando melhor o que é a cárie, como e por que ela se desenvolve, além de trazermos as 4 dicas mais bacanas de prevenção contra ela.

Além disso, um ponto interessante é que hoje há campanhas de conscientização voltadas para todas as idades, desde uma escola do ensino básico até asilo de idoso. Então, o que não pode faltar é a busca por conhecimento e informações essenciais.

Dito isto, se o seu interesse é realmente compreender a sério os problemas que a cárie pode trazer à vida de uma pessoa, junto dominando as melhores dicas para prevenção contra ela, então basta seguir adiante até o fim da leitura.

Mas do que se trata, afinal?

Como referido antes, a cárie não é exatamente uma doença, mas sim, uma danificação que ocorre nos dentes, a qual é ocasionada por conta dos ácidos que são produzidos pelas nossas placas bacterianas, ou seja, de modo totalmente natural.

Ao dizer isso, a primeira dúvida que costuma surgir é a seguinte: “Então, os antigos estavam errados ao dizer que muito doce é o que causa cáries?”. Na verdade, não estavam tão errados assim.

O que ocorre é que, em alguns casos, as placas bacterianas acabam se desajustando, a depender do que nós comemos e da quantidade em que fazemos isso.

Neste sentido, doce em excesso faz com que elas trabalhem dobrado, o que vai acabar por destruir o esmalte do dente, ocasionando um déficit de proteção natural e, por isso mesmo, a danificação que é a própria cárie.

Por isso, quando uma escola para criança faz campanhas do tipo “escove bem os dentes”, ela realmente está lutando contra a proliferação das cáries. Mas também é preciso focar na questão de uma dieta balanceada, como veremos adiante.

O que precisa ficar claro agora é que nosso organismo tem os mecanismos e as iniciativas naturais necessárias para combater esse tipo de problema, desde que a gente ajude ou pelo menos não atrapalhe esse processo natural.

Por outro lado, também há casos específicos em que a pessoa esteja naturalmente mais propensa à cárie, como nos casos de uma formação de placa bacteriana deficitária. Por razões como diabetes, que precisam ser investigadas.

Outro exemplo é a deficiência orgânica na produção do próprio esmalte no dente, o que também pede cuidado específico e reforça o papel de passar por um profissional que seja capaz de acompanhar cada um no caso a caso, sem generalizações.

Assim, se a pessoa tem alguma restrição alimentar, por exemplo, vai precisar ficar de olho a cada nova refeição que for fazer, ou quando comprar algo como uma cesta de supermercado, verificando cada item para não ter problemas futuros.

Para ajudar nisso, consta que os danos mais comuns ocasionados pela cárie podem ser os seguintes:

  • Inflamação da gengiva;
  • Prejuízos estéticos definitivos;
  • Infecção profunda na raiz;
  • Formação de abscessos;
  • Impactos na autoestima pessoal;
  • Perda definitiva do dente;
  • Acometimento de ossos;
  • Proliferação para outros dentes.

Enfim, são muitos os quadros que a cárie pode causar, cujo alerta serve apenas para lembrarmos que os mesmo problemas e prejuízos podem ser inteiramente evitados apenas com cuidados básicos, como os que seguem adiante.

1. Pense na sua dieta

Vimos que a higiene bucal não é a única responsável pelo desenvolvimento ou agravamento de cáries, por isso é fundamental tratar também da questão alimentícia, geralmente a mais negligenciada.

Portanto, uma dica fundamental é sempre controlar a ingestão do açúcar, lembrando que ele pode estar presente de maneiras que nem sempre imaginamos. Daí a importância de ouvir essa dica, e de ler a tabela nutricional sempre que possível.

Lembrando que mesmo quem ainda está em etapas de transição para a consciência alimentar, pode usar alguns macetes bem bacanas. Por exemplo, caso você não resista àquela sobremesa, ou se entregue a uma dobradinha delas, faça tudo de uma vez só.

Ou seja, coma em um espaço curto de tempo, se possível bem em seguida após a refeição, logo correndo para escovar os dentes. Assim, a ação danosa que o açúcar pode causar fica reduzida, ou ao menos relativizada. Após a escovação, ela diminui ainda mais.

Lembrando que o fumo também é algo que pode impactar bastante nas cáries. Então, se você tiver esse problema, é aconselhável levar isso em conta. Isso porque ele diminui a imunidade natural da flora da boca, trazendo um déficit tremendo na autodefesa.

2. O papel da água

Outro ponto que poucos levam em conta é a dieta em sentido mais amplo. Não há problema nenhum em curtir um fim de semana ao lado da sua churrasqueira gourmet de parede, desde que alguns cuidados básicos sejam levados em conta.

Assim, um exemplo tem a ver com a ingestão de água. O que ela faz, além de ajudar na hidratação do corpo como um todo, é estimular a salivação bucal.

Como vimos lá no começo, o problema do açúcar é impactar na criação da placa bacteriana, deixando o esmalte natural dos dentes deficitário. Pois bem, a saliva atua diretamente contra isso, então a ingestão virtuosa de água mitiga a criação de cáries.

Assim, a água se torna elemento essencial na dieta contra esse problema, equilibrando de modo natural o pH da boca e a acidez da boca. Nesse sentido, ela atua como um enxaguante, com a vantagem de ser natural e não industrializado.

3. Como fazer a higiene?

Depois de deixar claro que a higiene não é o único fator a levar em conta na prevenção contra as cáries, é preciso detalhar o modo ideal de praticá-la.

Primeiramente, como as cáries se desenvolvem nos dentes, tendemos a achar que somente eles importam na hora da higienização bucal, o que é um erro.

Como toda a flora ali está envolvida, redobre também a escovação da língua. De fato, ela serve como uma espécie de placas de sinalização no trânsito, indicando o caminho que você deve tomar, pois se houver muitas rugas e traços fortes na língua, algo está errado.

Afinal, é ali que os restos alimentares se depositam, mexendo com a acidez e comprometendo a formação das placas bacterianas. Outra dica infalível é reforçar o uso de fio dental, o que também lida com restos alimentares, de modo até mais assertivo.

Para quem ainda está começando, é normal que saia um pouco de sangue entre as gengivas. Se a quantidade for excessiva, busque ajuda de um dentista, mas não deixe de iniciar com o fio dental, nem que seja uma vez por dia.

4. Ajuda profissional

Por fim, não podemos falar de nenhuma área da saúde sem mencionar a importância fundamental de recorrer aos profissionais da área, sempre que necessário.

Quem tem convênio médico ou suporte, como o de exame periódico trabalhista, precisa redobrar a participação. De qualquer modo, visitar o dentista garante não apenas o combate e prevenção às cáries, mas vários outros benefícios.

Considerações finais

Falar sobre a prevenção das cáries é o mesmo que falar sobre a saúde bucal e do ser humano como um todo, especialmente pelos fatores estéticos e psicológicos atrelados a ele.

Assim, com as informações e dicas práticas que trouxemos acima, contribuímos para a conscientização sobre o assunto, bem como para a aplicação prática de cada leitor.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *