O brasileiro tem se interessado cada vez mais por soluções que giram em torno da escova de dente e da beleza do sorriso.

Além da questão estética ou da aparência física, também podemos falar de uma questão de saúde bucal, que pode envolver vários fatores bem preocupantes, seja no sentido do risco de desenvolver cáries, ou outros danos permanentes.

Neste sentido, buscar algo como locação de aparelhos esteticos pode ser tão importante quanto tentar entender melhor o universo da escovação de dentes, exatamente no sentido tal como vamos desenvolver e aprofundar aqui.

Pouca gente sabe, mas tão importante quanto visitar o dentista com frequência, é desenvolver essa consciência do que precisa ser feito não apenas de tempos em tempos, mas também no sentido mais rotineiro e mais prático da correria do dia a dia.

Por exemplo, além de preocupar-se com escova e fio dental, é preciso pensar até mesmo na dieta que a pessoa vai levar, sobretudo quando existe alguma intolerância, alergia ou problema similar a certos tipos de alimento, o que muda toda a dinâmica.

Neste caso, quem tem as chances de fazer um exame periódico empresa voltado para sua saúde bucal, teria a chance de perceber como a situação natural do estômago pode impactar diretamente na boca e até no hálito da pessoa.

Para tratar disso da maneira mais correta e completa possível, decidimos desenvolver este material, mostrando 4 dicas de como exatamente escolher uma escova de dente realmente infalível para o seu caso, e também subsídios sobre o tema.

Essas contribuições incluem questões mais técnicas como o fato de que não é nada aconselhável utilizar uma escova de dente por mais de três meses desde o dia de abertura da embalagem, como inclui outras mais específicas.

Por exemplo, o fato de que ninguém jamais deveria dividir sua escova com outra pessoa, mesmo que seja um casal que apenas deixe as duas guardadas no mesmo compartimento. O ideal é dividir para evitar contaminações no médio e longo prazo.

Um ponto bacana deste tema é o fato de que algumas dicas também dizem respeito a outros costumes que alguns podem ter sem se dar conta. 

Como deixar a escova em cima da pia ou guardar muito perto de algo como cosméticos orgânicos.

Sendo que deixá-la exposta ao ar livre pode atrair insetos como moscas e até outros piores. 

Ao mesmo tempo em que guardar com cosméticos e demais produtos não é aconselhável, para que não haja contaminação que não faria bem à saúde bucal.

Dito isto, se o seu interesse mais urgente e genuíno é compreender de uma vez por todas como funciona o universo das escovas de dente, aprendendo a escolher uma que seja perfeita para você em todos os sentidos, então basta seguir adiante.

Por que fazer a escovação?

Todo mundo já deve ter assistido a um filme de época e se perguntando como as pessoas faziam a higienização básica alguns séculos atrás, como um simples banho ou uma escovação de dentes.

Realmente, em certa época não tão distante não havia nem sequer água encanada, o que já impedia o uso de torneiras e, portanto, de uma escovação realmente profunda e saneadora.

Após a revolução industrial e popularização de soluções na área de construção civil, começaram a surgir alternativas e até serviços cada vez mais elaborados.

Os escritórios de engenharia que fazem serviços de certificação nessa área poderiam constatar muito facilmente que, por conta desses fatores todos, a vida ou rotina de higiene das pessoas era consideravelmente diferente da atual.

Com o avanço, começaram a surgir e se disseminar as escovas de dente, que até poucas décadas atrás eram feitas com cerdas mais firmes, retilíneas e simples.

Até que o crescimento desse mercado e da busca por soluções na área de saúde permitiu o surgimento de escovas cada vez mais elaboradas, inclusive as eletrônicas, que dispensam boa parte do esforço que a pessoa precisa fazer.

Como fazer a melhor escolha

Quando chegamos a cenários de alta tecnologia voltada para isso, a escovação pode se tornar não apenas mais facilitada, mas também mais assertiva, no sentido de atingir regiões mais profundas da boca e das gengivas.

1.     Comece pelas cerdas

Pode parecer óbvio isso, mas infelizmente tem gente que não escolhe sua melhor opção de escova de dente baseada em conhecimento de causa, mas sim em fatores secundários e até subjetivos, como ornamentos ou cor da escova.

Na verdade, se prestarmos atenção vamos perceber que um dos elementos primários e mais importantes em termos de constituição de objeto de higienização bucal são as cerdas.

No caso, como se trata de uma questão de saúde, é preciso levar vários fatores em conta, assim como alguém que recorre a alimentos veganos não pode dizer que vai comer apenas o que mais gosta, porém o mais importante e o que for coerente.

Basicamente, quando o assunto é escova de dente o mercado atual oferece algumas opções de cerdas, sendo as principais:

  • Cerdas macias;
  • Cerdas extra macias;
  • Cerdas duras;
  • Cerdas médias;
  • Cerdas naturais;
  • Cerdas cônicas;
  • Cerdas especiais.

Neste último caso, por exemplo, é possível encontrar soluções que trazem um entufamento maior, com cerdas que apesar de estarem em grande volume, não impactam demais as gengivas, sendo perfeito para quem tem um quadro mais sensível.

Casos de pessoas que têm muitos quadros de aftas e de problemas nas mucosas e tecidos da boca podem se beneficiar dessas cerdas especiais.

O mesmo vale para as cerdas cônicas, que podem ser firmes sem chegarem a causar muito atrito na escovação, o que também favorece quem tem uma boca sensível. 

Como suas pontas ou extremidades são afiladas, elas atuam mais ou menos como um amortecedor.

Sem falar nas cerdas naturais, que podem ser indicadas pelo dentista ou simplesmente fazer parte de uma convicção pessoal de cada um. 

Assim, em vez de material feito de nylon, por exemplo, é possível encontrar soluções feitas com bambu, o que não fere a natureza no descarte do objeto.

Em todo caso, o mais indicado costuma ser a escova que tem maior quantidade de cerdas naturais e maleáveis, com base na concentração ou intensidade de cerdas por cada tufo.

Basicamente, isso permite atingir mais lugares na boca, sem feri-la. Também por isso, a altura das cerdas é outro fator que pode ajudar a ir mais longe.

2.     Pense no formato da escova

Precisamos lembrar que a escova é feita de várias partes, não apenas as cerdas. Ela também inclui o seu cabo e a sua cabeça, que é onde se instalam os tufos de cerdas.

Aqui temos outro fator que pode parecer algo secundário ou arbitrário, mas que vai muito além da mera aparência, já que o design da escova pode influenciar diretamente em sua aplicação, como no alcance a determinadas partes da boca.

Não tem certo e errado, mas sim a necessidade de algo customizado, que leve em conta a demanda de cada um. 

Mais ou menos como uma empresa de comunicação visual que precisa conhecer seu cliente para poder personalizar uma campanha para ele.

Assim, como cada pessoa tem um tipo de demanda, em alguns casos a cabeça triangular pode se sair melhor, em outros somente a arredondada ou a pequena. 

Lembrando que também há soluções quadradas, que abrangem mais de um dente por vez.

3.     Os tipos principais

Se você não quer ter de pensar em cada elemento que compõe a escova, desde o tipo de tufo das cerdas até o formato da cabeça ou do cabo, também é possível considerar os tipos já catalogados.

Por exemplo, a escova infantil, que costuma ser classificada por idade, o que já preenche todas as necessidades descritas acima, facilitando a compra.

Se a criança estuda em uma escola integral infantil, o importante é os pais ou responsáveis ficarem de olho na aplicação diária da escova, que deve seguir com a criança para a escola e depois voltar com ela.

Outro exemplo é a escova interdental, que pode ajudar quem tem problema nas gengivas ou dentes muito separados.

4.     Outros fatores importantes

Por fim, há fatores que muitos consideram secundários, mas que podem fazer toda diferença.

Um exemplo clássico é o do escovador de línguas, que algumas opções de mercado trazem como diferencial, e realmente podem agregar bastante valor à escovação.

Assim, quem pedir para uma farmácia ou empresa de entregas rápidas trazer uma opção dessas, certamente vai fazer uma higienização mais completa.

Um último exemplo é o de quem tem aparelhos dentários fixos. Neste caso, além de ser interdental como referido acima, ela precisa ser em formato de V.

Considerações finais

Portanto, falar sobre escovas de dente é o mesmo que tratar da saúde bucal e também de um aspecto estético fundamental na vida de qualquer um, que é o do sorriso.

Com as informações e as 4 dicas que trouxemos acima, vai ficar bem mais fácil qualquer um escolher a melhor escova para o seu caso, tirando disso vários benefícios.Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *